Americano é barrado no Catar por usar camisa com estampa de arco-íris

Por Br Hoje
21 de novembro de 2022
Grant Wahl
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

Depois de a Fifa impedir os capitães das seleções europeias de utilizarem uma faixa em apoio à comunidade LGBTQIA+ , o jornalista americano Grant Wahl relatou que foi barrado na entrada do estádio Ahmed bin Ali, no Catar, por estar com uma camisa com arco-íris.

Segundo o profissional, que trabalha na CBS, os seguranças do estádio o deixaram detido por 25 minutos. Durante o período, ele ouviu que só entraria no estádio se tirasse a camisa com arco-íris, que utilizou em apoio à comunidade LGBTQIA+.

“Você precisa trocar sua camisa. Não é permitido”, um dos seguranças ordenou, segundo o jornalista, que também ouviu que a camisa que ele usava era “política”.

No relato em seu blog , Wahl ainda declarou que os seguranças gritaram com ele e tomaram seu celular de forma abrupta. Após a confusão, ele foi liberado por um oficial superior para assistir ao jogo entre os Estados Unidos e o País de Gales.

Intolerância no Catar

Com histórico de não respeitar os direitos humanos, o Catar tem leis que atacam a comunidade LGBTQIA+ , inclusive com a possibilidade de apedrejamento em caso de relações homossexuais.

Por conta disso, as seleções europeias pretendiam que os capitães jogassem as partidas de Copa do Mundo com uma faixa nas cores do arco-íris , mas a Fifa proibiu a ação, com a possibilidade de dar cartão amarelo aos atletas.

Últimas notícias