Após crime, vaquinha junta R$ 100 mil para abrir Instituto Leandro Lo

Por Br Hoje
9 de agosto de 2022
Leandro Lo

A morte do lutador Leandro Lo, de 33 anos, entristeceu o mundo do jiu-jitsu na manhã de domingo (7).

Um dos maiores nomes da história da modalidade, o octacampeão mundial terá seu legado no esporte vivo com a criação de um instituto que levará seu nome. Em pouco mais de 24 horas, mais de 20 mil dólares já foram arrecadados em doações de fãs, patrocinadores e pessoas próximas.

O lutador, descoberto no Projeto Social Lutando pelo Bem (PSLPB), do mestre Cícero Costha, era querido por amigos, companheiros e até rivais no esporte.

Seu início na modalidade o inspirava a manter a ideia viva e dividir com outras pessoas seus ensinamentos e experiência no jiu-jitsu, atraindo mais jovens a seguir na modalidade. Campeão mundial em cinco categorias diferentes, Leandro também conquistou cinco Copas do Mundo da modalidade e ainda ganhou oito Pan-americanos do esporte.

Após sua morte, pessoas próximas a ele decidiram tirar do papel o Instituto Leandro Lo, um projeto social para incentivar praticantes de baixa renda a seguir no caminho do jiu-jitsu, como era sua vontade.

Com a natural emoção pelo dia difícil, a vaquinha, a princípio, não foi tão divulgada, porque a mensagem sobre a arrecadação chegou truncada à família do lutador, que sofria com a dor do luto.

Sua mãe, Fátima Lo, chegou a compartilhar mensagem agradecendo pelas ofertas de ajuda, mas pedindo que qualquer iniciativa do tipo fosse interrompida, pois os parentes contavam com o apoio dos patrocinadores de Leandro e tinham boa condição financeira. De todo jeito, sem um plano funerário, seu enterro e velório foi custeado a partir de doações e auxílio das marcas parceiras do lutador, em homenagem destes a sua memória.

Poucas horas depois, entretanto, a mensagem saiu do ar. A chave pix da irmã de Leandro, Amanda, também recebe doações, que na plataforma BJJ Fanatics, do ex-lutador Bernardo Faria, tricampeão mundial de jiu-jitsu que enfrentou Lo diversas vezes no tatame já alcança quase 22 mil dólares.

O objetivo é chegar a 100 mil dólares, que serão integralmente doados à família de Leandro Lo, que ficará responsável pelo Instituto, administrado em parceria com amigos, companheiros de treino e grandes nomes do jiu-jitsu.

Em um segundo momento, Amanda fará uma prestação de contas com as doações que recebeu e se juntarão à arrecadação já feita.

Últimas notícias