Filme da Fifa mostra como Ronaldinho Gaúcho foi “padrinho” de Messi no Barcelona

Por Br Hoje
23 de dezembro de 2022
Lionel Messi / Ronaldinho Gaúcho
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

Ronaldinho Gaúcho foi uma espécie de padrinho de Lionel Messi, ainda bem jovem, recém chegado ao Barcelona. Na ocasião, o craque argentino teve no brasileiro, então o melhor jogador do mundo na época, seu alicerce para começar a mostrar a todos o seu potencial.

A relação de mentor de Ronaldinho com Messi é um dos temas do filme “O Homem mais Feliz do Mundo”, documentário sobre o craque brasileiro, disponível no Fifa+, serviço de streaming da federação internacional que disponibiliza conteúdo sobre futebol gratuitamente.

A história entre os craque começou em 2005, quando o brasileiro já havia sido eleito Melhor Jogador do Mundo pela Fifa uma vez e era a estrela mundial do esporte. Juanjo Castillo, responsável por fazer a ponte entre as categorias de base e time profissional do Barcelona, é quem conta no filme como aconteceu o primeiro encontro entre as duas lendas.

“Vocês estão loucos?”, disse o craque brasileiro a Castillo, logo depois do primeiro treino de Messi com a equipe profissional do Barcelona. “O que foi, Ronnie, ele é tão ruim assim?”, respondeu Castillo.

“Não, já era para ele estar treinando com a gente”, respondeu Ronaldinho, encantado com o que viu durante a atividade com Messi. Segundo o canal, os atletas começaram ali uma amizade que marcou a vida de ambos.

O filme mostra que foi Ronaldinho quem se aproximou do argentino e o levou para sentar-se entre as estrelas do time.

“Sou muito tímido, demoro um pouco para me adaptar”, disse Messi, que tinha apenas 18 anos naquela época.

A produção mostra que Ronaldinho até penteava o cabelo do argentinoo, o que foi motivo de questionamento para Castillo

“Por que não penteia o meu cabelo também?”, perguntou Castillo, que ouviu do brasileiro. “Porque você não vai ser o melhor jogador do mundo. Ele vai”, disse Ronaldo.

Segundo a Fifa, o brasileiro ainda arrumou um jeito de ficar para sempre marcado na memória de Messi. Contra o Albacete, em 2005, Ronaldinho deu o passe para o primeiro gol da carreira do argentino..

“Ele poderia ter feito um monte de coisas naquele lance, mas preferiu esperar e me dar a assistência”, relembra Messi, com um sorriso no rosto, no filme.

“Ele nunca vai esquecer esse primeiro gol dele. E, sempre que lembrar, vai lembrar de mim. Eu que dei o passe [risos]”, disse Ronaldinho.

Os dois permaneceram em campo juntos em conquistas marcantes, como a Liga dos Campeões de 2005/2006, e os Campeonatos Espanhóis de 2004/2005 e 2005/2006. Ronaldinho viu Messi desabrochar e, pouco antes de sair, passou o trono ao argentino. Um símbolo dessa herança foi um empate em 3 a 3 com o Real Madrid na época, com três gols de Messi.

Ronaldinho desistiu do clube na temporada 2007/2008 e foi para o Milan. Na mesma época, Josep Guardiola chegava para ser técnico do Barcelona.

“Foi feio o que aconteceu [na saída do Ronaldinho]. Ele não merecia depois do que fez pelo clube, de ter mudado a história do Barcelona. A maneira como ele saiu foi muito estranho”, classificou Messi no filme.

O filme mostra um dos últimos treinamentos da dupla, quando Ronaldinho disse a Messi que a camisa 10 seria dele. O argentino aceitou a honraria e afirmou que gostaria de estender o vínculo com o brasileiro.

“Queria ter amadurecido anos a mais com ele”, encerrou o argentino.

A Argentina venceu a Copa do Mundo do Catar e teve Messi considerado o melhor jogador do mundial. Ele terminou a competição com 7 gols – dois deles contra a França vencida pelos argentinos nos pênaltis por 4 a 2.

Últimas notícias