Anvisa determina volta do uso de máscaras em aeroportos e aviões

Por Br Hoje
24 de novembro de 2022
Foto Reprodução
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta terça-feira (22), o retorno da obrigatoriedade do uso de máscaras em aeroportos de todo o país e aeronaves diante dos novos casos de Covid-19 no país.

A mudança entra em vigor no dia 25 de novembro, esta sexta-feira, e a decisão foi tomada pela maioria da diretoria da Anvisa. Os serviços de bordos em voos nacionais permanecem autorizados.

Há uma preocupação com o cenário epidemiológico da doença, incluindo as novas variantes e aumento recente de casos ao redor do país: a média de mortes nos últimos sete dias subiu para 65, alta de 43%; e a média de novos casos no mesmo período subiu para 18.592, aumento de 261%, segundo dados do consórcio0 de veículos de imprensa.

A proximidade de festas de fim de ano e férias escolares foram consideradas na decisão também diante do tradicional aumento de viagens no período entre novembro e janeiro. A obrigatoriedade do uso de máscaras em aeroportos e aviões foi deixada de lado em agosto deste ano.

A Anvisa promoveu uma reunião com sua diretoria e especialistas na última segunda (21) e foi consenso que os dados demandam o “retorno de medidas não farmacológicas de proteção, como o uso de máscaras, principalmente no transporte público, aeroportos e ambientes fechados/confinados”.

Na oportunidade, participaram representantes da Sociedade Brasileira de Infectologia; Conselho Nacional de Secretários de Saúde – Conass; Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde – Conasems; Fundação Oswaldo Cruz; e Associação Brasileira de Saúde Coletiva; além dos epidemiologistas Carla Domingues e Wanderson Oliveira.

“O uso de máscaras em ambientes de maior risco, pelas suas características de confinamento, circulação e aglomeração de pessoas, representa proteção à coletividade e objetiva mitigar o risco de transmissão e de contágio da doença”, avalia Alex Campos, diretor da agência.

Regras

A agência ressalta que as máscaras devem ser utilizadas ajustadas ao rosto, cobrindo o nariz, queixo e boca.

A obrigação será dispensada no caso de pessoas com transtorno do espectro autista, com deficiência intelectual, com deficiências sensoriais ou com quaisquer outras deficiências que as impeçam de fazer o uso adequado de máscara de proteção facial, bem como no caso de crianças com menos de 3 (três) anos de idade.

As pessoas devem usar a máscara também nos veículos utilizados para deslocamento de viajantes para embarque ou desembarque.

A decisão da Anvisa proíbe a utilização de:

  • máscaras de acrílico ou de plástico;
  • máscaras dotadas de válvulas de expiração, incluindo as N95 e PFF2;
  • lenços, bandanas de pano ou qualquer outro material que não seja caracterizado como máscara de proteção de uso profissional ou de uso não profissional;
  • protetor facial (face shield) isoladamente;
  • máscaras de proteção de uso não profissional confeccionadas com apenas uma camada ou que não observem os requisitos mínimos previstos na ABNT PR 1002 – Guia de requisitos básicos para métodos de ensaio, fabricação e uso.

Além disso, os viajantes podem tirar a máscara exclusivamente:

No interior das aeronaves para:

  1. hidratação;
  2. b) alimentação durante o serviço de bordo.

Nas praças de alimentação ou áreas destinadas exclusivamente às refeições para:

  1. hidratação;
  2. b) alimentação.

Nos demais ambientes dos terminais do aeroporto para:

  1. a) hidratação;
  2. b) alimentação.

Últimas notícias