Governo bloqueia R$ 1,7 bilhão do Ministério da Educação

Por Br Hoje
29 de novembro de 2022
Foto Reprodução
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

O Governo Jair Bolsonaro (PL) iniciou nesta segunda-feira (28) o bloqueio de gastos obrigatórios do Orçamento Geral da União de 2022. Os primeiros cortes atingiram o Ministério da Educação e podem chegar a R$ 1,7 bilhão, conforme fontes da Esplanada dos Ministérios.

Os bloqueios atingem principalmente institutos federais e universidades federais, em serviços não obrigatórios como assistência estudantil e custeio dos campi.

Nesta terça-feira, o Grupo de trabalho da Educação do gabinete de transição convocou uma entrevista coletiva em que este tema deve ser tratado.

Na semana passada, o governo informou que iria bloquear R$ 5,7 bilhões de gastos não obrigatórios do Orçamento Geral da União de 2022 de todas as áreas. Os cortes iniciaram nesta segunda-feira.

De acordo com o Ministério da Economia, o contingenciamento se deu para que o governo pudesse pagar R$ 2,3 bilhões a mais da Previdência Social e depois da suspensão da medida provisória que adiava para 2023 o repasse de R$ 3,8 bilhões de ajudas para o setor cultural da Lei Aldir Blanc.

Questionados sobre o início dos bloqueios, os ministérios da Educação e da Economia não se manifestaram.

Segundo a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, o Governo Federal, por meio do Ministério da Educação (MEC), retirou todos os limites de empenho distribuídos e não utilizados pelas instituições, enquanto define um valor efetivo para o bloqueio orçamentário. Ou seja, ainda não está claro o real valor.

Últimas notícias