Estudante de medicina brasileira é encontrada morta na Bolívia

Por Br Hoje
12 de novembro de 2022
Mariana Sousa Bustamante
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

Uma estudante de medicina paulista, de 21 anos, foi encontrada morta na madrugada dessa segunda-feira (7), no município de Cochambamba, na Bolívia.

Segundo o g1, Mariana Sousa Bustamante estudava na Unifraz. Ela morava em um apartamento com outros dois estudantes brasileiros, que saíram para ir a uma festa na noite de domingo (6).

Quando voltaram para o imóvel, que fica no sexto andar, por volta das 3h da manhã de segunda, encontraram a sacada aberta. Ao olharem para baixo, viram Mariana caída no pátio do prédio.

Os paramédicos e a polícia compareceram ao local, mas ela não resistiu. A família da jovem havia conversado com ela naquele mesmo dia.

Investigação sobre morte da estudante de medicina

Segundo a mãe da jovem, Juliane Sousa, a colega de apartamento da filha ligou para a família da estudante no Brasil para contar sobre a morte.

A mãe contou ao g1 que Mariana dividia apartamento apenas com a outra menina. O jove, passou a morar com elas no mês passado.

Juliane foi até o país para tratar da transferência do corpo de Mariana e prestou depoimento na delegacia. A polícia não deu muitas informações, mas disse que trabalha com todas as hipótetes, inclusive homicídio.

Os dois colegas foram interrogados e chegaram a ser presos, mas foram liberados depois que a polícia viu as imagens da festa e do prédio, confirmando que eles não estavam no local no momento da queda.

Família pede explicações

A família da vítima pede que as autoridades bolivianas deem respostas sobre a morte da filha, que, até o momento, segue sem explicações.

Por meio de nota ao BHAZ, o Ministério das Relações Exteriores informa que está em contato com os familiares de Mariana Bustamante.

A pasta afirma que instruiu o Consulado-Geral do Brasil naquele país a prestar “assistência cabível” à família.

O Itamaraty acrescenta que não pode fornecer dados espefícos sobre casos individuais, devido ao direito à privacidade disposto na Lei de Acesso à Informação e no decreto 7.724/2012.

Sepultamento no Brasil

Pelas redes sociais, uma prima da estudante de medicina fez uma vakinha para juntar dinheiro e conseguiu trazer o corpo dela para o Brasil.

O velório começou às 10h de hoje (11) e se estende até as 16h. Já o enterro será no Cemitério Parque Hortolândia, no bairro Jardim Nova Europa.

Últimas notícias