O dia que Putin ofendeu âncora e ela foi acusada de sedução

Por Br Hoje
26 de fevereiro de 2022
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

Homens poderosos se irritam facilmente com perguntas incômodas. Principalmente quando são feitas por jornalistas mulheres. Um caso exemplar aconteceu em outubro de 2021, em um evento sobre energia em Moscou.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, perdeu a paciência ao ser repetidamente questionado pela âncora Hadley Gamble, do canal americano CNBC, a respeito do fornecimento de gás russo aos principais Países da Europa.

Para tentar desarmá-la, Putin se dirigiu à plateia que acompanhava a entrevista e tentou ser engraçado. “Mulher bonita, muito bonita… Estou dizendo uma coisa a ela. Ela instantaneamente me diz o contrário, como se não tivesse ouvido o que eu falei”, declarou. “Eu realmente disse algo tão difícil de entender?”

Muitos riram da velha anedota machista que associa a beleza feminina à baixa intelectualidade. Mais uma vez, o presidente russo reforçou a imagem de ‘hétero top raiz’ da qual se orgulha e que faz parte da propaganda de seu estilo truculento de governar.

A entrevista polêmica e o mexerico na TV russa

Mesmo constrangida, a jornalista, de 40 anos, não deixou de confrontá-lo. No dia seguinte, postou nas redes sociais a página de um jornal local com matéria sobre a entrevista. A foto escolhida não mostrava o rosto dela, e sim suas longas pernas. “Meu melhor ângulo”, debochou Hadley, que usou a hashtag em inglês #feminism.

O pior veio a seguir: a imprensa oficial e os veículos de comunicação submissos ao governo plantaram uma fake news inacreditável. A âncora teria sido escalada para “seduzir” Vladimir Putin durante a entrevista. O objetivo seria mostrá-lo como ‘predador’ diante das câmeras.

“Hadley se comportou com ousadia, se posicionou abertamente como objeto sexual, sem medo de ser criticada pelas feministas”, disse o apresentador Dmitry Kiselyov em telejornal do canal estatal Rossiya 1 News. A mídia americana reagiu contra a versão fantasiosa dos fatos.

Aquele ensaio de escândalo internacional deixou Hadley Gamble ainda mais popular na TV. Usar vestidos curtos que deixam as pernas em evidência é seu figurino frequente. Bonita e carismática, ela desafia quem pensa que uma jornalista não pode ser vaidosa nem provocativa. Eis a velha questão em qualquer País ou sociedade: a mulher precisa anular sua sensualidade em nome da credibilidade?

Hadley riu da sexualização de seu corpo na imprensa

Fonte: Terra

Últimas notícias