Condutores do Samu protestam por regularização da profissão em Teresina

Por Br Hoje
28 de fevereiro de 2022
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

Os motoristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) voltaram a protestar na manhã desta segunda-feira (28) pelo reconhecimento da profissão de condutor socorrista e reajustes salariais. O ato concentrou a categoria na sede do Samu, localizada na zona Sul de Teresina, das 8h às 10h.

De acordo com o diretor de Comunicação e imprensa do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (Sindserm), Joaquim Monteiro, os profissionais pedem a sanção da lei Nº 12.998/14 que regulamenta a profissão de condutor socorrista, trazendo mais benefícios para os servidores.

“Foi aprovada, em 2014, uma lei que regulamenta a profissão de condutor socorrista que traz uma série de benefícios para a categoria. A lei já foi aprovada na Câmara Municipal, mas desde então, em nenhuma gestão, a lei foi sancionada e eles continuam nessa luta”, explica o diretor da comunicação.

Joaquim Monteiro destaca ainda que as manifestações ocorrem desde o mês de janeiro, mas até o momento, não houve nenhum diálogo da gestão municipal com a categoria. Com isso, os motoristas começam a avaliar uma possível greve.

“Desde o mês passado eles vem fazendo manifestações, tentando conversar com vereadores, tentando negociar com o diretor da FMS, mas sem nenhum resultado positivo, eles começam a avaliar uma possível greve no futuro, mas isso ainda não foi deliberado”, acrescenta Joaquim.

Manifestações anteriores

No último dia 10 de fevereiro, os motoristas do Samu realizaram a segunda manifestação na capital em menos de 15 dias. No ato a categoria denunciou o sucateamento de ambulâncias e a falta do reajuste salarial por produtividade.

“Hoje o meu vencimento é abaixo do salário mínimo. Eu ganho R$ 820. A remuneração é composta de outras gratificações, só que não levamos elas nas férias, no 13º salário e muito menos na aposentadoria”, desabafou o motorista Wildomark Vasconcelos.

Em nota, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) informou que os servidores recebem produtividade e que já solicitou a análise da criação do cargo de condutor socorrista aos setores competentes.

A Fundação Municipal  de Saúde esclarece que todos os servidores do Samu recebem produtividade.

Sobre a renovação da frota a responsabilidade  é do Ministério da Saúde e do Município e existe processo de licitação para a compra de ambulâncias e motolâncias pela Prefeitura de Teresina além de previsão de renovação da frota, em 2022, por parte do Ministério da Saúde.

O criação do cargo de condutor socorrista,  a PMT já solicitou aos setores competentes  análise sobre o assunto.

Fonte: Cidade Verde

Últimas notícias