Famílias desabrigadas estão há quase um ano esperando casas prometidas pela Prefeitura de Teresina

Por Br Hoje
29 de dezembro de 2022
Foto: Assis Fernandes
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

As famílias desabrigadas em Teresina estão há quase um ano aguardando a entrega de casas novas, prometidas pela Prefeitura da capital. Ao todo, 29 famílias estão em abrigos e outras 596 estão em casas de amigos, vizinhos ou familiares, que recebem uma compensação da prefeitura através do programa Família Solidária. As informações são do G1PI.

A família de Sâmia Nascimento está desabrigada desde janeiro de 2022. Ela, o marido e o filho moravam no residencial Lindalma Soares, mas tiveram que sair de sua residência porque a região é uma das áreas de risco de Teresina. Ao longo do ano, eles já mudaram de abrigo três vezes.

Atualmente, a família de Sâmia está na Casa de Acolhimento Provisório tenente-coronel Costa Neto. A dona de casa relatou que o local se encontra em péssimas condições e que seu filho adoeceu por conta da situação do abrigo.

“Ele pegou tipo uma alergia aqui dentro porque não fizeram dedetização de nada. Aliás, quando a gente entrou aqui, ainda estava em reforma. Aqui estava um cheiro enorme de tinta”, afirmou.

Em nota, a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) informou que o serviço de retelhamento da casa de acolhimento está previsto para acontecer até a primeira quinzena de janeiro do próximo ano, podendo ser antecipado de acordo com o cronograma de serviços agendados anteriormente. A secretaria ressaltou que os problemas no teto foram causados pelas fortes chuvas das últimas semanas e também por conta de animais. Já foram identificadas as necessidades de novos reparos.

O secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Edmilson Ferreira, informou que 112 casas serão construídas no início de 2023. As construções não iniciaram antes, segundo ele, por falta de recursos.

“Nós não tínhamos recursos, agora que os recursos chegaram, estão disponíveis. O prefeito determinou que fosse buscado os recursos e, agora, determinou a aceleração desse processo, a agilidade para que as casas sejam entregues em 2023. Algumas casas, no final do semestre 2023, já estarão sendo entregues”, afirmou Edmilson Ferreira.

Ao todo, um montante de R$ 70 milhões está disponível para a construção de mais de 700 casas, que serão entregues conforme a conclusão das obras.

“Nós não iremos fazer o residencial inteiro para, depois, entregar. Vamos entregando conforme elas forem ficando prontas para evitar problemas de depredação e até invasão”, explicou o secretário.

Últimas notícias