Teresina ultrapassa 13 mil casos confirmados de dengue em 2022, aponta boletim

Por Br Hoje
21 de novembro de 2022
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

Teresina já atingiu a marca de 13 mil e 192 casos confirmados de dengue no ano de 2022. O levantamento é do Boletim Epidemiológico de arboviroses divulgado na sexta-feira (18) pela Fundação Municipal de Saúde (FMS).

De acordo com os dados do boletim, são 13 mil e 970 casos notificados e 11 óbitos confirmados pela doença na capital.

Em relação a Chikungunya, Teresina registra 2.772 casos notificados, desse total, 2.377 já foram confirmados e houve a notificação de seis óbitos.

Já sobre o Zika Vírus, o boletim aponta que neste ano foram 124 casos notificados e apenas 12 confirmados. A capital não registou óbitos pela doença.

A FMS informou ainda que na Semana Epidemiológica 45, correspondente aos dias 11 a 17 de novembro, foram notificados cinco novos casos de Dengue, mostrando um aumento de 150% quando comparado com os casos notificados na Semana Epidemiológica 44.

O que é dengue?

Dengue é uma doença infecciosa aguda causada por um vírus que possui quatro sorotipos (DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4).

É transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado. Ocorre principalmente em áreas tropicais e subtropicais do mundo, inclusive no Brasil.

As epidemias geralmente ocorrem no verão, durante ou imediatamente após períodos chuvosos.

Sintomas:

febre alta com duração de 2 a 7 dias;

dor de cabeça;

dor no corpo e nas juntas;

dor atrás dos olhos;

manchas vermelhas pelo corpo.

Prevenção:

não deixe água acumulada sobre a laje;

jogar no lixo todo objeto que possa acumular água, como embalagens usadas, potes, latas, copos, garrafas vazias etc;

guardar garrafas, para retorno ou reciclagem, emborcadas e em local em que não acumulem água;

colocar o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira bem fechada;

não jogar lixo em terrenos baldios;

manter o saco de lixo bem fechado e fora do alcance dos animais até o recolhimento pelo serviço de limpeza urbana;

manter a caixa d’água completamente fechada para impedir que vire criadouro do mosquito;

manter bem tampados tonéis e barris d’água;

encher de areia até a borda os pratinhos dos vasos de planta ou lavá-los com escova, água e sabão semanalmente;

lavar semanalmente por dentro, com escova e sabão, os tanques utilizados para armazenar água;

remover folhas e galhos e tudo o que possa impedir a passagem da água pelas calhas;

se você tiver vasos de plantas aquáticas, trocar a água e lavar o vaso, principalmente por dentro, com escova, água e sabão, pelo menos, uma vez por semana;

lavar semanalmente, principalmente por dentro, com escova e sabão, os utensílios utilizados para guardar água em casa, como jarras, garrafas, potes, baldes etc.

Últimas notícias