TCE emite parecer para reprovação das contas de ex-prefeito de Jatobá do Piauí

Por Br Hoje
11 de fevereiro de 2022
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

O Tribunal de Contas do Piauí manteve, nesta quinta-feira (10/02), o parecer prévio Nº 113/2021-SPC (processo TC/011412/2018) que recomendou a reprovação das contas de governos do ex-prefeito de Jatobá do Piauí Zé Carlos Bandeira (PT), referente ao exercício financeiro de 2018.

O parecer aponta, entre as irregularidades: Publicação dos Decretos fora do prazo estabelecido na Constituição Estadual do Piauí/89; Insuficiência na arrecadação da receita tributária; Divergência na contabilização do IRRF no valor de R$ 210.796,37; Despesa de Pessoal do Poder Executivo atingiu 56,90% da receita corrente líquida, acima do limite legal de 54%; Despesas contabilizadas, indevidamente, como outros serviços de terceiros – Pessoa Física (PF) no valor de R$ 1.240.849,48; Indicador “Máximo de 5% não aplicado no exercício” do FUNDEB apurado apresenta valor negativo; Análise do Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEGM): Dimensão Ambiente: A nota do município regrediu, permanecendo sob o conceito “Baixo Nível de Adequação”. Dimensão Cidade: A nota do município regrediu, permanecendo sob o conceito “Baixo Nível de Adequação”; Dimensão Educação: A nota do município evoluiu, passando para o conceito “Efetiva”; Dimensão Fiscal: A nota do município ficou estável, permanecendo sob o conceito “Efetiva”, Dimensão Gov. TI: A nota do município evoluiu, permanecendo sob o conceito “Baixo Nível de Adequação”; Dimensão Planejamento: A nota do município regrediu, permanecendo sob o conceito “Baixo Nível de Adequação”.

Segundo a relatora, entre as irregularidades mais graves se encontra o acentuado Incremento na Dívida Fundada Interna em 6.348%, Esse dívida se refere ao INSS de funcionários que era recolhido nos contra cheques, mas não era repassado à previdência. Segunda ele, isso vai acarretar sérios problemas às gestores futuras.

Diante da eminente reprovação das contas, o ex-gestor entrou com um pedido de “reconsideração do parecer”, mas segundo a relatora do processo, conselheira Waltânia Maria Nogueira de Sousa Leal Alvarenga, o ex-prefeito, através de seu advogado Germano Tavares e Silva, a defesa não trouxe nenhuma novidade, “repetindo os mesmos argumentos da defesa no processo.

Waltânia Alvarenga manteve o voto pela manutenção do parecer prévio que pede a reprovação das contas de governo do ex-prefeito Zé Carlos e seu voto foi acompanhado, por unanimidade, pelos demais Conselheiros: Jilson Campelo, Flora Izabel, Cleber Eulálio, Olavo Rebelo e Kennedy Barros.

As contas de governo do ex-gestor serão apreciadas pela Primeira Câmara do TCE e ainda não tem data para ir à pauta de julgamento.

VEJA AQUI O VOTO DO PROCESSO

VEJA AQUI O PROCESSO

Fonte: Em Foco

Últimas notícias