Alckmin não será ministro do governo, diz Lula em Brasília

Por Br Hoje
10 de novembro de 2022
Foto Reprodução
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta quinta-feira (10), que o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), não será ministro do futuro governo, que tomará posse em 1º de janeiro de 2023.

“Eu fiz questão de colocar o Alckmin como coordenador para que ninguém pensasse que o coordenador vai ser ministro. Ele não disputa vaga de ministro porque é o vice-presidente”, afirmou Lula.

Alckmin chegou a ser cotado para integrar diferentes ministérios. Entraram para a lista de possibilidades a Defesa, a Agricultura, o Planejamento, a Fazenda e até o Itamaraty. Nos bastidores, o argumento de que não se poderia demitir um vice-presidente prevaleceu. O desgaste seria grande se fosse preciso destituir o vice de uma pasta da Esplanada.

A chefia das pastas ainda é um mistério, e Lula não comentou sobre nomes durante o pronunciamento, feito no Centro Cultural Bando do Brasil (CCBB), em Brasília, onde a transição do governo se reúne. Os indicados para a Esplanada dos Ministérios devem ser anunciados só após a viagem de Lula para o Egito, no próximo dia 18, para participar da 27ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (COP27).

Por enquanto, o foco do governo eleito é o trabalho da equipe de transição, na qual Alckmin ganhou papel de protagonista. Segundo o vice-presidente eleito, integrantes dos trabalhos não necessariamente serão indicados a cargos políticos, como um ministério.

No discurso, o próprio presidente eleito fez questão de frisar que integrar a equipe não significa assumir ministérios. “Que ninguém fique trabalhando pensando que será escolhido”, disse.

 

Últimas notícias