Ratinho manifesta apoio a Bolsonaro: “Precisamos ganhar”

Por Br Hoje
14 de outubro de 2022
Foto Reprodução

Nesta sexta-feira (14), o apresentador Ratinho pediu voto para o presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno das eleições 2022 . O comunicador do SBT também demonstrou apoio para o Capitão Contar (PRTB) na disputa pelo governo do Mato Grosso do Sul contra Eduardo Riedel (PSDB).

O apresentador afirmou que o brasileiro pode devolver o país para uma “quadrilha”, referindo-se ao grupo liderado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ou deixar o “trem no trilho atual”, referência a chapa comandada por Bolsonaro.

Ratinho também aproveitou o momento para atacar a senadora Simone Tebet (MDB), acusando-a de ter entrado para a “quadrilha”. A emedebista está apoiando a candidatura de Lula no segundo turno.

“Toda a quadrilha se juntou de novo para tomar conta do Brasil. Aqui [em Mato Grosso do Sul] foi impressionante a quantidade de votos que ele [Bolsonaro] teve. Nunca imaginei que aqui ia dar só 52% para o Bolsonaro. Achei que ia dar 70%. No Paraná, achei que ia fazer 80% e deu 42% também”, falou o apresentador.

Ratinho relembrou a frase de Lula sobre o aumento do salário mínimo . Ele acusou o petista de não dar explicações sobre como vai melhorar a vida dos brasileiros.

“A mentira é mais fácil do que a verdade. Falar que o povo vai ter o salário mais forte é fácil. Quero ver como vai dar esse salário. Então eu estou aqui, pedindo voto para o Capitão Contar e para o presidente Bolsonaro. Precisamos ganhar essa eleição”, comentou.

Em 2018, o apresentador gravou um vídeo para manifestar seu apoio para Bolsonaro. Desde então, ele tem feito parte do grupo bolsonarista. Em 2021, por exemplo, criticou a mídia por conta das reportagens contra o atual governo.

“Vou falar sobre o coronavírus. Uma luz no fim do túnel se acende com o início da campanha de vacinação. O presidente Jair Bolsonaro tem recebido todo tipo de crítica. O governo e o Ministério da Saúde são depreciados constantemente pela oposição e por parte da imprensa, que não reconhece a verdadeira importância do trabalho que vem sendo realizado. É para perder a paciência”, falou à época.

 

Últimas notícias