Claudia Rodrigues vai passar por procedimento milionário nos EUA

Por Br Hoje
19 de dezembro de 2022
Foto Reprodução
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

A atriz Claudia Rodrigues decidiu realizar um procedimento nos Estados Unidos para tratar a esclerose múltipla. O tratamento é novo na área e apresenta um custo de até R$ 1,3 milhão, segundo a equipe do médico que vai atender a atriz.

A artista pretende passar pelo procedimento no início de 2023, no estado da Flórida, e se diz “animada” com a oportunidade. “Vou me curar. Essa cirurgia vai sarar minhas sequelas. É genial”, afirmou à coluna de Patrícia Kogut. Adriane Bonato, companheira de Claudia, explicou que o procedimento “promete uma melhora de 80%” nas sequelas”.

Bonato contou que está “negociando o pagamento” do tratamento e informou que custaria até R$ 26 milhões. “Claudia já colocou alguns imóveis à venda. Vamos fazer outras coisas para angariar fundos. Ela vai fazer essa cirurgia. Só precisamos adaptar o pagamento. Até porque, tendo a melhora esperada, ela vai voltar a fazer o que mais gosta, que são os espetáculos dela, e vai voltar a ganhar dinheiro. Eu também volto a trabalhar. E a gente paga isso”, relatou.

No entanto, a equipe do médico sinalizou um equívoco por parte da companheira de Claudia Rodrigues. “[Custa] entre 36 mil a 50 mil dólares por indução. Isso varia de caso para caso, pois é feita avaliação individual. Tem tratamento que necessita de apenas uma indução e outros que podem precisar de cinco induções, por exemplo”, disse a equipe do médico Marc Abreu, que ressaltou não se tratar de uma cirurgia, mas, sim, de um tratamento.

Ainda segundo a companheira de Claudia, pessoas que passaram pelo procedimento tiveram uma melhora significativa. “Há pessoas que já não andavam mais, usavam scooter. Fizeram e voltaram a andar. Assim como gente com um monte de dificuldades, que usava sonda e tinha visão e fala comprometidas”, afirmou.

“Os pacientes em tratamento tiveram recuperação total das funções perdidas. Não é o tratamento simplesmente para impedir a progressão, é uma terapia para reverter o processo, restaurar a função cerebral. Recentemente, um paciente brasileiro de 88 anos com Alzheimer e Parkinson, voltou a andar e a falar. É possível restaurar as funções do cérebro que foram perdidas uma vez que haja essa indução da proteína de choque térmico!”, completou o médico Marc Abreu, em contato.

Fonte: IG

 

Últimas notícias