Rolando Boldrin morre aos 86 anos em SP

Por Br Hoje
9 de novembro de 2022
Foto Reprodução
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin
Share on reddit

Um nome de referência ao se falar em cultura popular, Rolando Boldrin morreu nesta quarta-feira, 9, aos 86 anos, em São Paulo. Ele estava internado há dois meses no Hospital Albert Einstein, segundo informações da assessoria de imprensa da TV Cultura, mas a causa da morte não foi divulgada. O velório será realizado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

Rolando Boldrin alegou as manhãs da TV Cultura, estando à frente do programa Sr. Brasil por mais de 15 anos. Com uma trajetória que cruza com a história da televisão brasileira, o apresentador tornou-se, ao longo do tempo, um dos nomes mais respeitados quando o assunto é cultura popular. Dono de uma memória invejável, o também ator e compositor é nome fundamental no resgate e na valorização da música caipira de raiz. Em entrevista ao Estadão, em 2021, disse: “E eu tenho 175 obras gravadas, gravei tudo o que você possa imaginar, de ritmos brasileiros, do samba de breque à moda de viola”.

“Eu sou o que se pode chamar de um contador de histórias”, dizia Boldrin todo orgulhoso. Em sua extensa carreira, que começou no rádio e viu os primórdios da televisão no País, foi o primeiro a interpretar, por exemplo, Odorico Paraguaçu, de O Bem Amado, nos anos 1960. “Eu fiz a primeira novela da televisão, a segunda, também. Fiz tudo”, divertia-se o ator, quando entrevistado pelo Estadão, durante a comemoração de seus 85 anos.

Trajetória

Aos 16 anos, Boldrin sai de São Joaquim da Barra, onde nasceu em 22 de outubro de 1936, rumo a São Paulo

Entra no mundo das artes pelo rádio, a partir de 1958, trabalhando como figurante em radionovelas

Aos 22 anos, faz teste na TV Tupi e inicia sua carreira com pequenos papéis

Nos anos 1950, começa a atuar em novelas, como ‘A Muralha’, na Record

Foi o primeiro ator a interpretar o icônico personagem Odorico Paraguaçu, de ‘O Bem Amado’, em 1960

Chega ao cinema e faz os longas ‘Doramundo’ (1978), ‘O Tronco’ (1999) e ‘O Filme da Minha Vida’ (2017)

Em 1981, Boldrin mostrou ao País o que era cultura popular, ao comandar o ‘Bem Brasil’, na Globo

Finalmente, em 2005, chega à TV Cultura e continua sua empreitada pela cultura brasileira com o programa ‘Sr. Brasil’

Fonte: Estadão

Últimas notícias